Foto: Letícia Teixeira / PMSCS

 

A EMEI (Escola Municipal de Educação Infantil) Marilene de Oliveira Larocca, localizada no Bairro Santa Maria, tinha um problema recorrente: o muro da escola era alvo de contínuas pichações.  O que fazer? A solução encontrada pela equipe gestora da escola, liderada pela diretora Maria José do Nascimento Azevedo, foi transformar o problema em oportunidade.

Contando com a participação do artista plástico Marcelo Silva Dantas, que ministra oficina de grafite na Estação Cultura (R. Serafim Constantino, s/n – Centro), a escola resolveu adotar a arte de rua como assunto na sala de aula, ensinar a diferença entre pichação e grafite e embelezar o muro da escola com motivos sugeridos pelas crianças.

A proaudi (professora auxiliar de direção) Maria José Campos Suarez ligou para a Estação Cultura e entrou em contato com o oficineiro, que se dispôs a realizar o trabalho voluntariamente.

“A pintura foi feita em várias etapas e também contou com a ajuda do pai de uma aluna, que também é grafiteiro. Mas antes da pintura, as crianças assistiram a vídeos sobre grafite e arte de rua, e conheceram artistas importantes como Os Gêmeos e Kobra”, conta a professora Maria José Suarez.

Outra preocupação das educadoras foi incluir as crianças no processo de criação do grafite. “Elas fizeram diversos desenhos em papel como sugestões para a pintura no muro da escola e cartinhas agradecendo o trabalho do Marcelo”, diz a professora.  “Tentei atender a maioria dos pedidos”, diz o artista.

O resultado dessa união de esforços foi não apenas um espaço mais bonito e agradável de se ver, mas, também, alunos motivados e enriquecidos com novos conhecimentos. Mais uma vez, a Educação transformou, literalmente, o cenário.