Texto: Eliane Parmezani MTb 48.006/Secult PMSCS 

Foto: Paulo César Ribeiro / PMSCS 

 

“Eu jogo capoeira. Que capoeira eu jogo?” A expressão cultural que une arte marcial, dança e música, símbolo da cultura afro-brasileira, da miscigenação de etnias e da resistência à opressão é o tema do encontro Diálogos Ngoma, promovido pela Prefeitura de São Caetano do Sul, por meio da Secretaria de Cultura (Secult) e o apoio do Conselho Municipal da Comunidade Negra (Conescs).  

O evento ocorre no dia 22/8 no Teatro Santos Dumont (Av. Goiás, 1.111, Bairro Santa Paula), em São Caetano, das 19h às 21h. É gratuito e livre para todos os públicos. Os mestres Gêra (A.D.C. de Capoeira Santa Izabel), Sérgio (Capoeira Menino Chorô), Diolindo (Escola Sol Capoeira - Canto das Tradições) e Gerson (Ginga de Ouro Capoeira) são os convidados desta edição. O mediador é Me. Latino.

A Roda de Capoeira foi registrada como bem cultural pelo IPHAN em 2008. Em novembro de 2014, recebeu o título de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO. O encontro tem a proposta de possibilitar o debate entre mestres e professores de capoeira, educadores, adeptos e amantes desta arte, provocando a reflexão e estratégias para desconstruir o racismo estrutural advindo do processo moderno-colonial. 

 

Programação

19h - apresentação da Oficina Cultural “Danças Afro Brasileiras”

19h15 – abertura e roda de conversa com os convidados

20h30 – diálogos com a plateia

 

Ngoma

Ngoma é uma expressão da África bantu que significa “tambores da aflição”. É um instrumento musical típico, feito a partir de uma pele animal esticada sobre um cilindro de madeira, que foi levado pelos escravos africanos para todas as partes do mundo, inclusive o Brasil.

Acompanhe a agenda cultural da cidade pelo site cultura.saocaetanodosul.sp.gov.br ou pelo Instagram @culturasaocaetano.