Foto: Letícia Teixeira / PMSCS

Alceu Valença, Rastapé com Zeca Baleiro e Falamansa. Grandes nomes da Música Popular Brasileira abrilhantaram ainda mais a Entoada Nordestina de São Caetano do Sul. De sexta-feira a domingo (20 a 22/5), a festa de cultura popular e gastronomia típica atraiu mais de 60 mil pessoas ao Espaço Verde Chico Mendes: um recorde.

Nos três dias as famílias de São Caetano do Sul celebraram a cultura nordestina. Além dos shows principais, dezenas de artistas da cidade subiram ao palco. Na parte gastronômica, 32 barracas atenderam ao público com muitas delícias típicas, como baião de dois, acarajé, mocotó e outros caldos, sarapatel, buchada de bode, tapioca, cocada, pamonha e curau.

A Entoada também teve viés solidário. Foram arrecadadas 20 toneladas de alimentos, que serão repassadas a quem mais precisa.

“Esta é uma homenagem aos migrantes nordestinos, que tanto contribuíram e contribuem para o desenvolvimento de São Caetano do Sul. Fazemos isso proporcionando momentos de muita alegria à nossa população, em um ambiente de grande confraternização. É um orgulho enorme”, ressaltou o prefeito José Auricchio Júnior, que garantiu a realização da Entoada Nordestina em 2023.

O secretário municipal de Cultura, Erike Busoni, agradeceu a todos os envolvidos na organização da Entoada. “Foi uma festa maravilhosa. Não tivemos nenhuma intercorrência. Geramos 372 empregos diretos, o que movimenta a economia local e o círculo da economia criativa”, destacou.

HOMENAGENS

Na sexta-feira (20/5), durante a abertura da Entoada, Auricchio homenageou nove migrantes nordestinos por suas contribuições a São Caetano do Sul: Antônia Sebastiana Horácio, Benedita Maria dos Santos, Eunice Maria de Vasconcelos, José Pedro de Vasconcelos, José de Carvalho Costa, José Forte Pessoa, Maria Ferreira Dias de Lima, Francisco José de Lima e o vereador Ubiratan Figueiredo, que presidiu a comissão organizadora da festa.