Foto: Sérgio Carvalho / PMSCS

 

Uma manhã de sol, música, brincadeiras, aprendizados e partilha entre crianças e famílias. Assim foi o Domingo Inclusivo realizado neste 5 de junho, no Espaço Verde Chico Mendes. O evento foi organizado pela Sedef (Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência ou Mobilidade Reduzida), com a participação de toda a equipe do CTNEN (Centro de Triagem Neonatal e Estimulação Neurossensorial) Dr. Tatuya Kawakami e apoio das secretarias de Saúde, Educação, Cultura e Serviços Urbanos.

“Foi um momento de união entre as famílias, em que tivemos a oportunidade de promover a inclusão, o acolhimento e a troca de experiências. Esperamos que este seja o primeiro encontro de muitos”, disse a secretária da Sedef.

O prefeito de São Caetano do Sul e o deputado estadual Thiago Auricchio prestigiaram o evento e anunciaram mais uma conquista da cidade: a construção do Complexo Municipal de Atenção à Pessoa com Deficiência, que englobará a reestruturação do CTNEN e da Fundação Anne Sullivan, além da criação de uma área de lazer.

O projeto concretizou-se graças à mobilização do deputado estadual, obtendo junto ao Governo do Estado o investimento de 8 milhões de reais para a obra.  “Em breve, publicaremos o edital de licitação. Espero entregar essa obra até o final de minha gestão”, anunciou o prefeito.

 

PIONEIRISMO NA INCLUSÃO

Em seu discurso, o prefeito  também destacou o fato de São Caetano ser o primeiro município da região, além de São Paulo, a ter uma secretaria dedicada à pessoa com deficiência. E elogiou o trabalho desenvolvido pela Secretaria de Educação para a criação de uma Política de Educação Especial, que vai organizar e aprimorar o atendimento de estudantes com deficiência.

“É uma felicidade estarmos nesta ação, que esperamos se torne rotineira em nossos parques. A marca dessa gestão é a ação intersetorial, a união das secretarias para oferecer o melhor atendimento e a garantia de direitos às crianças que são o público alvo da Educação Especial”, declarou a secretária de Educação.

 

BRINCADEIRAS E APRENDIZADO

A programação do Domingo Inclusivo foi repleta de atrações culturais e esportivas que divertiram crianças e adultos de todas as idades: teve música do grupo Planeta Miúdo, show com o palhaço Anatólio e atividades para estimular o desenvolvimento neuropsicomotor, como, por exemplo, os módulos sensoriais, que estimulam o tato por meio de diferentes materiais e texturas.

Para Juliana Cristina Paes, mãe do Benjamin, de 5 anos de idade, o diagnóstico precoce e as atividades de estimulação fazem toda a diferença no desenvolvimento de crianças especiais. “O Benjamin foi diagnosticado com autismo leve. Ele não gostava de socializar e se irritava com barulho. Depois das terapias, ele se desenvolveu muito. Aos quatro anos de idade já aprendeu a escrever o próprio nome.”

Integrante da APM da EMEI Inês dos Ramos, onde seu filho estuda, Juliana também destaca a importância de que as famílias vençam o preconceito e busquem informação assim que surgirem dúvidas quanto ao desenvolvimento dos filhos. “O filho especial não é um problema. Como qualquer criança, é um desafio e um aprendizado a cada dia”.