Foto: Divulgação

 

Juntando arte, literatura, ciências, trabalho em equipe e muita sensibilidade, a Escola Municipal de Ensino Professora Alcina Dantas Feijão desenvolveu um projeto pedagógico que irá ficar marcado na vida dos alunos do 2º ano do Ensino Médio e registrado para sempre em forma de livro.

Fruto do projeto pedagógico Oficina Fotográfica e Poética, o livro, que está em processo de produção em parceria com a Editora Ases da Literatura, será composto por fotos em preto e branco feitas pelos alunos, sob o tema “Seres Vivos”, e poemas inspirados pelas imagens. A capa trará a bela ilustração do aluno Elias Santos Felix, do 2º F, vencedora de um concurso promovido entre os alunos.

A ideia do projeto que tem revelado esses talentos nasceu de uma conversa entre a professora de Língua Portuguesa Juliana Lopes dos Santos e a professora de Biologia Rafaela Barros dos Santos. “Nosso objetivo era resgatar hábitos de estudo e motivar os alunos para a pesquisa e a escrita, nesse momento de retomada das atividades presenciais, e buscávamos projetos que conectassem as disciplinas”, conta Juliana.

Rafaela já tinha uma experiência prévia com fotografia: “o uso da fotografia no ensino de Biologia havia sido o tema de meu TCC na Licenciatura em Ciências pela Unifesp”, relata. Não demorou para que o projeto se delineasse, juntando os conteúdos estudados em Biologia, sobre seres vivos, e o aprendizado de figuras de linguagem na produção poética.  “O tema envolvendo seres vivos combinou perfeitamente com o estudo do Romantismo, que faz uma exaltação à natureza”, destaca a professora Juliana.

As obras (fotos e textos) foram feitas em duplas, permitindo a troca de saberes e experiências entre os alunos. Quem vê o resultado dos trabalhos percebe que o olhar poético não está apenas nos textos, mas também nas imagens, produzidas com muita sensibilidade e dicas técnicas dadas pela professora Rafaela.  

Para valorizar os trabalhos e motivar os estudantes, a escola promoveu um concurso, com banca composta por professores da escola, formadores do Cecape (Centro de Capacitação dos Profissionais da Educação) e ex-alunos do Alcina (profissionais formados ou estudantes de nível superior nas áreas de Letras e Biologia).  Um sarau no auditório da escola, com transmissão online, foi organizado para quem quisesse apresentar seu trabalho aos colegas e às famílias.

O próximo passo, agora, é fazer uma exposição, na escola, de todas as fotos e poemas produzidos. Mas novos frutos ainda devem vir do projeto. “Os professores de Inglês e Espanhol manifestaram interesse em trabalhar com os alunos a tradução dos poemas”, revela Juliana. O livro do Alcina poderá ser trilíngue

 

Vencedores do concurso de fotos e poemas.

Clique nos nomes para ver os trabalhos fotográficos:

 1º LUGAR - Amanda Sophia e Kethellyn dos Santos - 2º Ano A

2º LUGAR - Bruna Beja e Henrique Cardoso - 2º Ano C

3º LUGAR - Julia Nascimbeni e Soffia Cardoso - 2º Ano B

4º LUGAR - Fabrício Finzetto e Yago Delboni - 2º Ano I

 

Abaixo, leia os poemas inspirados pelas fotos:

 

1º lugar

 Florescer 

 

Deixe florescer em ti a flor 

que não perde sua beleza 

Em meio a tanta dor 

Seja você o lírio da natureza.

 

Sonhe que o mundo floresce 

Sonhe que ninguém se entristece, 

Sonhe que o amor cresce, 

E que o pensamento navegue, 

Que o tempo tudo carregue 

Porque a vida segue.

 

Em cada canto de terra, de mato, de flor 

De respiro em inspiro, entre sopro e suspiro

Nasça sempre um lírio.

 

Ao invés de ferir, deixe sua palavra florir 

Pois em meio à tristeza 

É sempre bom sorrir. 

Um toque de amor 

Que começa a florescer 

Na beleza de uma pequena flor 

Vai o ambiente enriquecer.

 

Cada flor tem seu mistério, sua essência, sua cor 

Cada flor tem sua história de viver e de morrer 

E ficará cada vez mais linda a cada amanhecer.

 

Amanda Sophia da Cunha Neves

Kethellyn dos Santos Silva

2º ano A – Ensino Médio 

 

 

2º lugar

O amor mais sincero

 

Com um olhar sincero 

Uma sensação de calma 

Na espreita eu espero 

Aquele que enxerga a alma.

  

Sem ganância 

Sem interesse 

Sem arrogância

Nada parecido com a gente 

 

Um carinho

Uma felicidade 

Ele chega de mansinho

Independentemente da idade.

 

Já não brinca mais

Já não corre como no passado 

Mas seu amor não morre jamais,

Dele seu coração está impregnado.

 

Uns vivem muito,

Porém temos que seguir a razão 

Porque a real é que ninguém está pronto 

Para encerrar esse laço de coração.

 

Bruna Beja Galvão dos Santos

Henrique Cardoso Keppler

2ºano C – Ensino Médio

 

3º lugar

A orca solitária

 

Continue a nadar?

Como continuar, sem começar?

Será que não estão me vendo chorar?

Isso não parece um mar...

Mas vamos lá, continuemos a nadar.

 

 Sinto um vazio no peito, o pior sentimento,

 Isto é um grande sofrimento.

 Vocês humanos precisam de mais conhecimento!

 Estão fazendo da minha dor entretenimento,

 Para os meus pais não pediram consentimento...

 

Julia Nascimbeni Santos

Soffia Cardoso do Nascimento

2ºano B – Ensino Médio

 

4º lugar

Uma última palmeira

 

Apenas uma, sobrou uma última palmeira.

Sozinha, vazia, talvez tenha sido a primeira.

Lá no fundo da paisagem, 

Um último resquício de natureza.

Vê-la assim, solitária, só me traz tristeza.

 

Ah, o seu grande verde eterno...

Rapidamente perdido pelo moderno.

Tudo sumiu em apenas um instante,

De repente, só um vazio constante.

 

Pessoas passam, carros passam, 

E ela não é observada.

Passam décadas e anos, 

E ela fica ali, sem ser notada.

Algo antigo, velho, ultrapassado,

No fundo da paisagem, 

Um semblante do passado.

 

Lá está ela, resiliente e sozinha;

Apenas uma, que fica com saudadezinha.

Até vir o homem novamente, com sua maldade;

E matar a última alma de vida daquela cidade.

 

Fabrício Finzetto Palos Pinhao

Yago Delboni Nelson

2º ano I – Ensino Médio