Foto: Letícia Teixeira / PMSCS

 

Uma pesquisa realizada pela Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), com apoio do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e Itaú Social, revela que a maioria das redes municipais de ensino do País já voltou com as aulas presenciais e está realizando ações de recuperação de aprendizagem.

A rede municipal de ensino de São Caetano do Sul está entre as que adotaram medidas para a recuperação e reforço da aprendizagem, e apresenta condições privilegiadas de infraestrutura e planejamento que a distinguem no cenário nacional.  

Segundo a pesquisa, divulgada nesta terça-feira (5/4), a maioria das escolas municipais do País relata dificuldades de implementação de estratégias de recuperação que estão relacionadas ao contraturno escolar, incluindo acesso à Internet para estudantes e professores, transporte escolar e alimentação.

São questões estruturais que a Secretaria de Educação de São Caetano já havia planejado com antecedência, de modo a garantir condições ideais de ensino às escolas da rede.

 

ACESSO À INTERNET:  Em outubro de 2021 a Prefeitura iniciou a implantação de rede wi-fi de última geração (Wi-Fi 6) em todas as unidades da Secretaria de Educação, contemplando escolas, bibliotecas, escolas de idiomas e Centro de Formação de Profissionais da Educação.

Foram instalados 990 pontos de acesso de rede nas salas de aula e áreas comuns de todas as unidades escolares. A Prefeitura investiu R$ 9,2 milhões na nova infraestrutura de rede, que já está funcionando nas escolas municipais.

Poucas escolas públicas do País contam com internet dessa qualidade. De acordo com um levantamento feito pela Fundação Lemann, apenas 3,2% das escolas públicas brasileiras têm internet com velocidade de acordo com os padrões internacionais.

 

ALMOÇO NA ESCOLA:  Em março deste ano, o prefeito José Auricchio Júnior anunciou o retorno do programa Almoço na Escola, contemplando os 12 mil alunos de Ensino Fundamental da rede municipal. Com ele, quem estuda de manhã almoça após os estudos e, quem estuda à tarde, pode almoçar antes de ir para a sala de aula. Os estudantes convocados pelas escolas a assistir às aulas de reforço no contraturno escolar têm almoço garantido e, assim, podem permanecer na escola no período de aulas regulares e nas aulas de reforço.

 

TRANSPORTE ESCOLAR: Também no mês passado foram abertas inscrições ao Auxílio Transporte Escolar, programa que consiste no pagamento de auxílio destinado ao custeio do transporte escolar para o deslocamento entre o local da residência e o estabelecimento de ensino frequentado pelo aluno. O pagamento se dará mensalmente e a quantidade de parcelas será definida levando-se em consideração a disponibilidade orçamentária e o número de alunos contemplados.

 

“Na elaboração do programa de retomada das aulas presenciais fizemos um planejamento minucioso que se sustentou em quatro pilares: as aulas de reforço escolar, o programa Almoço na Escola, o programa Saúde na Escola (que prevê ações conjuntas com as secretarias de Saúde, e Assistência e Inclusão Social) e um programa de renda, ainda a ser implantado, direcionado a alunos em situação de vulnerabilidade”, explica a secretária de Educação.

Acesse a pesquisa da Undime na íntegra: https://www.unicef.org/brazil/media/17971/file/pesquisa-undime-educacao-na-pandemia-setima-onda.pdf