Texto: Eliane Parmezani MTb 48.006/Secult PMSCS

Foto: Eli e o filho Thales. Arquivo Pessoal

 

“Vejam só minha gente! Coisa que nunca se viu. Burrinho dando discurso. Cavalinho sorriu.” E não é que o verso popular virou livro? No sábado, 24/9, às 15h, será o lançamento da obra de Eli Antonio Luizaga (Tulip), com ilustrações de Bianca (Bibi) Oliveira, “O Discurso do Burrinho”. O evento será na Estação Cultura, localizada na Rua Serafim Constantino, s/n°, piso superior do terminal rodoviário, no Centro de São Caetano do Sul. Para participar, preencha a ficha clicando aqui e confirme presença.

O livro foi concretizado a partir dos encontros na oficina “Como Publicar seu Livro - Processo de Produção Editorial da obra”, ministrada por Leandro Giovedi, e “Escrita Criativa”, por Nelson Albuquerque Jr, oferecidas em 2021 pela Secretaria Municipal de Cultura (Secult), na Estação Cultura, mesmo local do lançamento.

“O Discurso do Burrinho” nasceu de uma canção de ninar. Daquelas que vêm do interior do Brasil, que embalou o Thales (filho da Eli, hoje com oito anos) e que ficou na memória da escritora. Anos mais tarde, essa doce lembrança virou história, enriquecida de personagens, cenário e ações. Em uma delicada alegoria, os bichos da floresta que nunca haviam tido a oportunidade de se manifestar publicamente ganham vez e voz. 

“Em 2021, meu cunhado me falou sobre as oficinas da Secult. Nas aulas de ‘Escrita Criativa’ enxerguei o texto com outros olhos. E saí da oficina ‘Como Publicar seu Livro' com o caminho das pedras para a publicação do Burrinho”, conta a autora. A colega de turma Bibi Oliveira e o professor Leandro Giovedi abraçaram o projeto ao lado de Eli.  

 

Produção independente

“Nosso objetivo com a oficina foi auxiliar os escritores nos caminhos para a produção independente e entender a diferença entre a publicação independente e submeter o livro a uma editora tradicional. Quando terminou o curso, a Elisângela me procurou e manifestou a vontade de produzir de forma independente um livro infantil. Me mostrou o texto e fiquei apaixonado pela história”, lembra-se Leandro Giovedi.

“Paralelamente ao meu trabalho, pretendo ser um editor e produtor independente. Então, resolvi abraçar este projeto com ela, prestando toda a assessoria. A Bianca também foi minha aluna e, na ocasião, manifestou o desejo de participar conosco, ilustrando o livro”, acrescenta. Com a história no papel, todo o processo até a primeira tiragem levou cerca de nove meses.

Mais de 70 cópias da tiragem de 100 exemplares já foram vendidas antes mesmo do lançamento. “Já solicitei à gráfica a segunda tiragem. Por ora, estamos comercializando os livros em minha loja virtual (tulipcriativa.mercadoshops.com.br). E trabalhando para lançar também a versão digital”, explica Eli Luizaga. 

Por meio da oficina da Secult, Eli Luizaga recebeu toda a orientação para traçar um plano de negócios para o Burrinho, com prazos e custos. “Nos reunimos, montamos um cronograma e o meu trabalho, além de controlar a produção, foi orçar e contratar gráfica, digitalizar e tratar as ilustrações, fazer a editoração, o pedido de ficha catalográfica e ISBN”, enumera Giovedi.

 

Avião da imaginação

A escritora, ilustradora e professora Bibi Oliveira descobriu a afinidade no sonho de publicar seus próprios livros junto à amiga Eli Luizaga, durante as aulas com Leandro. “Foi a oportunidade de ilustrar o meu primeiro livro infantil. Ilustrar é sempre um desafio prazeroso, mas um desafio. Ilustrar para os pequeninos é mais desafiador ainda.” 

“Tem que pensar na cor, no formato, para que cada página seja uma surpresa. Assim, o interesse não se perde e eles chegam à última página já com saudades e vontade de ver e ler mais. A ilustração é mais que um complemento, é o avião da imaginação”, descreve. 

“As crianças são muito espertas: elas entendem os desenhos, as mensagens e as ilustras. Algumas imagens até passam despercebidas pelos adultos, mas, aos olhos dos pequenos, todos os detalhes contam. Quando ilustro tento pensar como eles”, conclui a ilustradora.

 

Economia criativa

De acordo com Eli Luizaga, uma vertente que surgiu a partir das oficinas da Secretaria de Cultura de São Caetano foram as contações de histórias. “A convite da Secult, fomos para os parques da cidade para falar de livros, literatura, contar histórias. Tivemos as portas abertas para montar o projeto Tulip Cantando Histórias”. 

A trupe Tulip Cantando Histórias é formada pela Eli, pelo marido Anderson, pelo filho Thales Antônio e pelo cunhado Adriano Luizaga. O projeto foi contemplado em editais da Secult de apresentações artísticas em eventos do calendário oficial da cidade, e de incentivos a artistas.

E não acaba por aí. Por intermédio das oficinas culturais, a contadora de histórias e hoje autora Eli Luizaga firmou parceria com outra escritora de São Caetano, a Ala Voloshyn (responsável pela preparação do texto em “O Discurso do Burrinho”). Elas têm um canal no Youtube, o “Conversando Literatura”. 

“O Burrinho se tornou o nosso laboratório. Vejo nessa publicação a concretização de um sonho pessoal que, ao mesmo tempo, contribui para impulsionar a economia criativa na cidade”, arremata Eli.

Acompanhe a agenda cultural de São Caetano do Sul pelo site: cultura.saocaetanodosul.sp.gov.br e Instagram @culturasaocaetano.

 

Serviço

O Discurso do Burrinho

Texto: Eli Antonio Luizaga

Preparação: Ala Voloshyn

Revisão: Beatriz Direste

Ilustrações (capa e miolo): Bibi Oliveira

Produção Editorial, Editoração e Digitalização (ilustrações): Leandro Giovedi

Impressão e Acabamento: Hawaii Gráfica e Editora

 

Onde comprar:

Site: tulipcriativa.mercadoshops.com.br

Whatsapp: (11) 99916-0377

 

A partir de 26 de setembro:

Cantares Presentes - Av. Sen. Roberto Símonsen, 154 - Centro, São Caetano do Sul

Casinha das Letras - Rua Monte Alegre, 83, bairro Santo Antônio, São Caetano do Sul

Livraria São Caetano - Rua Amazonas, 420, Centro, São Caetano do Sul