Foto: Letícia Teixeira / PMSCS

 

Esta semana tem sido especial para a Fundação Municipal Anne Sullivan (Fumas). Para celebrar o Dia Internacional do Autismo (2 de abril), a instituição promoveu a Semana de Conscientização do TEA (Transtorno do Espectro Autista), com atividades que envolveram crianças e jovens atendidos e suas famílias.

O tema da campanha nacional de 2022 para o Dia Mundial de Conscientização é uma frase da escritora Fátima Kwant, especialista em Autismo e Desenvolvimento: “Lugar de autista é em todo lugar”.  Com base nesse tema, a Fumas compartilhou informações sobre como conviver com a diversidade do espectro autista na perspectiva da equidade de direitos, garantindo o direito à inclusão em todos os aspectos e contextos da nossa sociedade.

“Atualmente, cerca de 80% de nossos alunos têm diagnóstico de TEA, mas as atividades envolveram todos os assistidos”, comentou a psicóloga e pedagoga Solange Keller, diretora da escola.

A Fumas é mantenedora do Núcleo de Referência Anne Sullivan, composto por unidade escolar de Educação Infantil e Ensino Fundamental I, no período da manhã; uma Unidade de Apoio Técnico Educacional, para realizar atendimentos clínicos e atividades terapêuticas à tarde, e um Programa de Oficinas Pedagógicas para assistidos acima de 18 anos. Todas as equipes participaram da programação da semana.

A equipe das Oficinas Pedagógicas elaborou um jornal informativo sobre o tema e marcadores de livros temáticos; a equipe escolar criou uma mensagem com o tema da campanha anual, além de atividades pedagógicas durante a semana (pinturas, colagens e cartazes), com a participação das famílias. As mensagens foram distribuídas na comunidade local. E a equipe multidisciplinar de Apoio Educacional realizou, ao longo da semana, diversas atividades envolvendo as famílias, estudantes e comunidade com estudo do meio, atividades funcionais, passeios, jogos e atividades aquáticas.

  

FUMAS

Fundada em 15 de setembro de 1977, a Fundação Municipal Anne Sullivan foi pioneira na América Latina no atendimento à surdocegueira, ampliando depois seus atendimentos para educandos com surdez. Em 1998, passou a se chamar Escola de Educação Básica Anne Sullivan, acrescentando atendimentos para pessoas com paralisia cerebral e TEA (Transtorno do Espectro Autista).

Atualmente, atende 160 pessoas contando com uma equipe de 70 servidores, dentre os quais especialistas em Fonoaudiologia, Fisioterapia, Psicologia, Psicopedagogia, Terapia Ocupacional e Assistência Social.  Os atendimentos são realizados em um espaço físico acessível e adaptado às necessidades das pessoas assistidas, dispondo de uma piscina, sala de Terapia Ocupacional, sala de Fisioterapia, sala de Comunicação e de Multimídia.