Foto: Letícia Teixeira / PMSCS

São Caetano tem brilhado no esporte nacional e internacional e prova disso está no tênis de mesa. Com sete mesatenistas na seleção brasileira - Bruna Takahashi, Caroline Kumahara, Laura Watanabe, Eric Jouti, Vitor Ishiy, Gustavo Tsuboi e Hugo Calderano -, mais os técnicos Francisco ‘Paco’ Arado e Reinaldo Hideo Yamamoto, a mais nova integrante da seleção brasileira é a joia de São Caetano: Giulia Takahashi, de 17 anos, terceira no ranking mundial da categoria de base.

Irmã de Bruna Takahashi, que está entre as 30 melhores mesatenistas do mundo, sendo a brasileira mais bem colocada no ranking mundial da ITTF (Federação Internacional de Tênis de Mesa), Giulia também segue uma trilha de vitórias. Já coleciona 25 medalhas de ouro, seis de prata e sete de bronze em competições mundiais, pan-americanas, sul-americanas, latino-americanas e nacionais, em pouco mais de três anos. 

“É uma atleta na qual estamos apostando bastante, assim como fizemos lá atrás com o Hugo Calderano. Os frutos não são imediatos, mas os resultados aparecem no futuro”, resumiu o presidente da CBTM (Confederação Brasileira de Tênis de Mesa), Alaor Azevedo.

Giulia se lembra com saudade da época em que acompanhava o pai e a irmã Bruna para jogarem tênis de mesa num clube perto de sua casa, em São Bernardo do Campo, aos 6 anos de idade. “Eles jogavam por lazer e eu estava sempre junto para vê-los treinarem, mas aí começou a ficar mais sério para a Bruna. Chegou um dia em que eu comecei a me interessar, decidi jogar e fui chamada para treinar em São Caetano, onde estou até hoje”, relembrou Giulia.

A joia do tênis de mesa de São Caetano cumpre intensa rotina de treinos: de segunda a sexta, de manhã e de tarde. “Quero ganhar um Mundial e também ir às Olimpíadas. Sei que vai ser bem difícil, mas vou treinar bastante para isso. Eu queria muito fazer equipe com a minha irmã nos Jogos”, completou Giulia.