Foto: Eric Romero / PMSCS

A Prefeitura de São Caetano do Sul realizou nesta quarta-feira (2/2), no Teatro Santos Dumont, um curso de capacitação para 160 agentes do Programa Mais Oportunidade, que a partir do dia 9 de fevereiro trabalharão nas escolas municipais - a data marca o retorno dos 22 mil alunos da rede às aulas presenciais.

A capacitação dos agentes, uma parceria entre as secretarias de Saúde, Educação e de Assistência e Inclusão Social, contou com palestras da médica infectologista da Rede Municipal de Saúde Nédia Maria Hellage.

Entre as ações que os agentes do Mais Oportunidade terão estão a medição de temperatura dos alunos, a verificação do distanciamento, auxílio nos fluxos das escolas na entrada e saída de alunos e durante as refeições, entre outras. 

O secretário da Seais, Thiago Mata, falou sobre a importância da capacitação dos agentes do Mais Oportunidade. “O Mais Oportunidade é um programa voltado para a reinserção do morador no mercado de trabalho, e ele está inserido em todas as secretarias. No entanto, neste caso específico de retorno às aulas presenciais, é necessário que ele tenha noção e seja conhecedor dos protocolos sanitários para uma volta tranquila e segura dos alunos e dos profissionais.”

“Estes dois anos de pandemia foram difíceis, mas também de aprendizados. Para que possamos ter um retorno habitual é preciso garantirmos os protocolos sanitários. Por isso, este esforço intersecretarial entre Saúde, Assistência e Educação é de extrema importância”, acrescentou a secretária de Educação, Minéa Fratelli.

 

ENTUSIASMO

Nascida em São Caetano há 60 anos e moradora do Bairro Santa Paula, a agente Mais Oportunidade Solange de Menezes estava entusiasmada com a capacitação para receber os alunos a partir do dia 9.

“Acho que é muito importante essa palestra com a infectologista para termos tudo bem explicadinho com relação aos protocolos sanitários. Além disso, será um desafio maravilhoso trabalhar com crianças e adolescentes, pois será como um retorno à época em que meus filhos eram pequenos. Meu espírito é tratar os estudantes como se fossem meus filhos de sangue. Vou orientá-los sempre que possível e necessário”, ressaltou Solange.