Foto: Ricardo Quiles / GCM / PMSCS

A Prefeitura de São Caetano do Sul, por meio da Seseg (Secretaria de Segurança), realizou na quinta-feira (10/11), no CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências), mais uma reunião mensal do Cosem (Conselho de Segurança Municipal).

O encontro foi presidido pelo secretário de Segurança, Lourival dos Santos Silva, e contou com a participação de representantes da sociedade civil, da Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros, da GCM (Guarda Civil Municipal) e da Defesa Civil.

O secretário de Segurança enfatizou a participação da sociedade civil como indispensável para tratar das políticas de segurança pública com o objetivo de preservar a paz e realizar a manutenção da ordem pública juntamente com as Forças de Segurança. 

“A participação da sociedade civil é indispensável para preservar a paz e realizar a manutenção da ordem pública juntamente com as Forças Policiais. Nas nossas reuniões incentivamos essa aproximação dos representantes atuando como agentes multiplicadores, compartilhar as necessidades da população, compartilhar os esforços dos municípios para salvaguardar ações preventivas tal como a tecnologia empregada no CGE, e divulgar as ações realizadas pelas forças de segurança local para melhorar a eficiência da manutenção da ordem pública e da qualidade de vida da população de São Caetano”, ressaltou Lourival.

Entre as demandas expostas no encontro foram apresentados os procedimentos operacionais do CGE, como a tecnologia analítica e forense, atendimento de urgências médicas, socorro, trânsito, pessoas desaparecidas, entre outras naturezas de ocorrências, demonstrados pelo coordenador do CGE, César Wendel Delpim. 

“Essas reuniões em que apresentamos os detalhes técnicos e os sistemas operacionais auxiliares das Forças de Segurança proporcionam um ganho muito grande na sensação e percepção da segurança da cidade”, observou César.

 

COSEM

Trata-se de um órgão de assessoramento da Administração Municipal de caráter consultivo e deliberativo, vinculado à Seseg. Suas atribuições são de propor ações integradas de natureza preventiva e assistencial, que visem à prevenção da violência do município; implantar ações com o objetivo de estimular a participação da sociedade civil organizada em projetos que visem à realização de medidas de prevenção ao crime; e receber sugestões da comunidade relativas à segurança, encaminhando as propostas aos órgãos competentes.