Com o objetivo de diminuir a fila de espera e agilizar o atendimento a exames, consultas e cirurgias represados pela pandemia, a Prefeitura de São Caetano do Sul lançou o programa ProSaúde Fila Zero. Com R$ 11 milhões de investimentos, até dezembro, serão realizados  diversos mutirões de cirurgias e consultas, um novo serviço de Telemedicina e o Saúde nos Bairros, com agendamento de pacientes que aguardam por consultas de especialistas em cada unidade.

Todos os atendimentos serão realizados por agendamento, respeitando as prioridades da fila e o tempo de espera pelas consultas, exames e cirurgias. Um planejamento minucioso estudou as especialidades com maior demanda e definiu prioridades para o programa, que vai realizar 2,3 mil cirurgias; 25 mil consultas; 13,3 mil exames e 4,8 mil atendimentos em Fisioterapia, além dos procedimentos de rotina.

“Desde o início do ano estamos adotando diversas medidas para retomada da educação, da área social e da economia. Mas, o que tínhamos mais preocupação era com a saúde no cenário pós-pandemia. Temos hoje o reflexo do setor que, por mais de 20 meses, se dedicou exclusivamente ao combate à pandemia”, afirmou o prefeito José Auricchio Júnior durante o lançamento, na noite de segunda-feira (27/6), no Cecape (Centro de Capacitação dos Profissionais da Educação) Dra. Zilda Arns.

Alguns procedimentos já tiveram início este mês, como o mutirão de consultas em Ortopedia, iniciado no dia 1º de junho e com previsão de realizar mil atendimentos por mês no Centro de Especialidades Médicas do Bairro Fundação; mutirão de cirurgias ginecológicas, iniciado no dia 16 de junho, com oito cirurgias por semana; e o mutirão de consultas e cirurgias urológicas, iniciado no dia 25 de junho, com previsão de 25 cirurgias e 250 consultas presenciais mensais. Outra ação que teve início no dia 25 de junho foram os atendimentos, aos sábados, em Fisioterapia. Serão 4,8 mil atendimentos extras até dezembro.

Em apoio a todas as ações terá início no dia 11 de julho a Telemedicina, que funcionará nas Unidades Básicas de Saúde Ivanhoé Esposito (Barcelona), Moacir Gallina (Cerâmica), Dolores Massei (São José), Angelo Antenor Zambom (Boa Vista) e João Luiz Pasqual Bonaparte (Santa Paula).

“Vamos trazer resolutividade em consultas, com atendimento especializado em cinco consultórios virtuais por 12 horas diárias. Serão 900 consultas por semana em Endocrinologia, Cardiologia, Dermatologia, Neurologia, Vascular, Urologia e Otorrinolaringologia. As sequelas da pandemia serão resolvidas com a indispensável ajuda da tecnologia”, explicou a secretária de Saúde, Regina Maura Zetone. 

O deputado estadual Thiago Auricchio, que também prestigiou o evento, ressaltou a importância de priorizar os atendimentos represados. “A vivência da pandemia nos faz refletir sobre o mundo que tínhamos antes e durante os momentos mais críticos. Agora, sobre a importância que o poder público exerce na retomada. Saúde é sempre uma prioridade nossa. Aproveito para agradecer aos profissionais por trabalharem nesses dois anos, protegendo e ajudando nossa população.”

NOVOS SERVIÇOS

No dia 30 de junho será iniciado o primeiro Saúde nos Bairros, na UBS  ngelo Antenor Zambom. O programa vai percorrer as Unidades Básicas de Saúde e durante três dias vai atender a demanda da comunidade local em diversas especialidades. As consultas são previamente agendadas, respeitando a demanda represada. No Bairro Boa Vista, os atendimentos acontecerão na quinta e sexta-feira (30/6 e 1/7), das 8h às 21h, e no sábado (2/7), das 8h às 12h.

Outra novidade que vai apoiar as ações do programa é a Central de Acesso ao ProSaúde Fila Zero. A partir do dia 1º de julho, uma assistente virtual fará a confirmação de consultas e exames via WhatsApp. Além disso, o serviço disponibilizará um canal direto com a Central de Agendamentos, para que o morador tire suas dúvidas sobre agendamentos, exames e procedimentos.

ONCOLOGIA

Nenhum atendimento de urgência foi paralisado durante a pandemia. Consultas, exames, cirurgias e tratamentos de diversas especialidades foram mantidos. A Oncologia, por exemplo, registrou aumento de 25% nos atendimentos.