Texto: Eliane Parmezani MTb 48.006/Secult PMSCS (com informações da Bemelmans Comunicações)

Foto: Bia Varella

Na sexta-feira (5/8), às 20h, a Trupe Benkady apresenta o espetáculo Sons d’Oeste. Uma conversa entre os ritmos e movimentos tradicionais da cultura mandingue, com ênfase nas etnias Malinké, Baga e Sussu, da região da Guiné Conacri, reconhecida mundialmente por seus balés. O teatro fica na Av. Goiás, n. 1.111, bairro Santa Paula, em São Caetano. A entrada é gratuita e livre para todos os públicos. Além de São Caetano, está em mais cinco cidades do Estado: Atibaia, São Bernardo, Santo André, Campinas e Mauá (confira aqui a agenda completa). 

O projeto, contemplado no Edital Proac - Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo, é parte do encontro Provocações na Dança, que é realizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult). 

 

Ancestralidade e atualidade

Com música e dança ao vivo, o Sons d’Oeste utiliza instrumentos de matriz africana. Os equipamentos percussivos são uma produção de Luiz Poeira, do Instituto Tambor, ateliê que produz manualmente cada um deles, confeccionando-os como em seu país de origem. As canções são releituras de trechos de músicas tradicionais da Guiné, entoadas pela cantora Sarah Roston. 

O espetáculo tem o intuito de dialogar com memórias ancestrais que se manifestam por meio dos ritmos africanos e de suas danças milenares com a atualidade. Experimenta timbres da natureza e une diferentes instrumentos de percussão, trabalhando ritmos tocados no passado e vivenciados no presente. 

O trabalho traça, sob a ótica deste povo do oeste africano, um cenário das situações sociais mandingues, dentre as quais algumas também são encontradas no Brasil. A dança é inspirada nos rituais cerimoniais dos povos da Guiné. Na cultura dessa região, a música e a dança são parte do cotidiano: há danças, cantos e ritmos específicos para cada ocasião social, como batismos, iniciações, casamentos, trabalho no campo e ritos de passagem. 

 

Ficha técnica

Cantora: Sarah Roston

Dançarinos: Flávia Mazal, Ton Moura, Mavi Ramos, Facinet Touré e Alessandro Mesquita

Direção musical: Hiles Moraes

Músicos: Hiles Moraes (djembe), Leandro Santos (trio de dununs), Joan Barros (guitarra) e Rogério Nascimento (balafon)

Concepção e Direção: Flávia Mazal

Direção de Produção e Produção Executiva: Léo Accetto

Produção e realização: Trupe Benkady e Léo Accetto

Figurino: Trupe Benkady e Vera Luz

Apoio Institucional: Secretaria Municipal de Cultura de São Caetano do Sul

 

Provocações na Dança

Pensar a dança na cidade. Essa é a proposta do projeto “Provocações na Dança”, na sequência do espetáculo Sons d’Oeste.

O novo projeto da Secult reúne companhias, escolas e grupos de dança para ouvir suas demandas, oferecendo o Teatro Santos Dumont para um debate aberto e participativo. Os encontros acontecem nas primeiras sextas-feiras de cada mês, exceto em feriados prolongados.

A ideia é discutir a dança em São Caetano: o atual cenário, perspectivas, políticas públicas e projetos, por meio de workshops, debates, rodas de conversa ou em outros formatos propostos pelos participantes, com foco no fortalecimento da categoria, abrindo oportunidades para os profissionais defenderem as ações dessa modalidade artística. 

Companhias, escolas e coletivos podem sugerir as pautas a serem abordadas nos encontros seguintes, assim como convidados, palestrantes e atrações artísticas. O objetivo é instigar a participação, a reflexão, além de ouvir propostas, aproximando o poder público de quem vive a dança na cidade. 

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 4233-8910 ou e-mail: claudia.hirota@saocaetanodosul.sp.gov.br.